Pequenas Grandes Mentiras – Liane Moriarty

(Foto: Divulgação HBO)

Livro toca em assuntos comuns da literatura, porém de forma mais adulta e difícil

Problemas no casamento, dificuldades na criação dos filhos, reuniões de amigas, encontros não desejados com o ex-marido... É possível dizer que as situações descritas acima fazem parte da vida de muitas mulheres (e homens) e, exatamente por isso, são comuns na literatura. Pequenas Grandes Mentiras, livro de Liane Moriarty, toca em todos esses assuntos, porém de forma mais adulta e um tanto quanto difícil.

Na trama acompanhamos a história de três mulheres: Madeline é como a abelha rainha de sua pequena comunidade à beira-mar. Espirituosa, briguenta e cheia de si, ela não vê problemas em arranjar uma discussão quando não concorda com algo e dificilmente baixa a cabeça. Seu único ponto fraco é Abigail, filha de seu antigo casamento com Nathan. Madeline agora tem outro marido, Ed, dois filhos com ele e está feliz. Mas jamais se esqueceu do abandono de Nathan e vê-lo diariamente com sua nova esposa não ajuda nada.

Celeste, melhor amiga da Madeline, é aquela que tem a vida perfeita: linda, casada com um homem incrível, rica e com filhos gêmeos. Porém, ao contrário de Madeline, Celeste é distraída, parece viver no mundo da lua de seus pensamentos e tem muito mais a esconder do que os leitores imaginam.
Fechando o trio de protagonistas há Jane, uma mãe solteira que acabou de se mudar para a cidade e já começa a enfrentar problemas na escola com o filho. Jane é também uma das personagens mais misteriosas da trama: pouco sabemos sobre seu passado, que é revelado aos poucos. Porém ela mostra desde sempre ter algum trauma e segredo escondidos.

(Foto: Editora Intrínseca)

Começamos Pequenas Grandes Mentiras sabendo que alguém foi morto em uma das festas beneficentes da escola. Não sabemos quem, não sabemos como. A narrativa de Liane Moriarty se torna totalmente atraente por misturar falas do futuro – após a morte – com momentos no presente e no passado. Pouco a pouco vamos conhecendo a história dessas mulheres, que lidam com diversos problemas no dia a dia, e começamos a imaginar quem morreu e quais as circunstâncias em que isso aconteceu.

Exatamente por começar a história já estabelecendo que uma morte ocorreu, Moriarty consegue criar uma trama muito mais adulta. Aqui não há medo de ameaças. A “vida perfeita” que todos parecem ter não passa de fachada. Interessante notar como muitas mulheres e homens acabam fazendo isso em suas vidas reais: todos temos problemas em casa, com a família, ou com os filhos. Mas dificilmente queremos que os outros saibam. Nas redes sociais, nas conversas de bar, a vida sempre está perfeita, por mais que não esteja.

Por fim, a autora chega ao final do livro com a grande revelação, e de fato vale a pena esperar. Uma pena que no final não há o espaço claro para uma continuação, mas vale a pena continuar ligada no trabalho da autora, também responsável por títulos como O Segredo do Meu Marido. Pequenas Grandes Mentiras é daqueles livros que você começa, e não consegue largar até terminar.


Ah, e o livro está sendo adaptado atualmente para a TV com um elenco incrível, na série Big Little Lies da HBO, e os produtores já prometeram mudanças em relação à publicação. É esperar para ver.

Compartilhe:

Deixe seu comentário

0 comentários:

Postar um comentário